sábado, 20 de setembro de 2014

Saudade....

 

Saudade....

 
  
Chegou a hora de dizer adeus, definitivamente, a este cantinho... Que carinho especial eu tenho por ele. Aqui entrei há 5 anos atrás, numa das fases mais difíceis da minha vida, após a morte do meu querido pai. Nunca imaginei o que iria viver neste espaço. Aqui reencontrei pessoas que já tinha por perdidas... Aqui amei muito, sorri, sofri, chorei... Conheci corações como o meu que me ajudaram, com as suas palavras, a ultrapassar momentos menos felizes. Fiz amigos e amores que levarei para sempre no meu coração, na minha alma sonhadora...
Deixo aqui o meu último poema que representa muito do que sou e do que aqui vivi. Perto ou longe, que a vida vos sorria a todos vós, queridos poetas que, como eu, têm uma maneira diferente de sentir este Mundo... Que a nossa "Lua" continue "Verde"....Sejam muito felizes!
 
 
Saudade

A minha saudade tem cor e cheiro
Tem sonho, momento, pele de criança
É vida a pulsar numa lágrima de lembrança
Uma bola de sabão num carrossel de pujança

A minha saudade tem voz, melodia
Embalo de velhinho, num coração a nascer
Uma história contada, tecida nos nós da vida
Um berço debruado no sorriso do amanhecer

A minha saudade tem o mel da descoberta
O primeiro beijo nas asas de um sonho menino
Um toque, um perfume, um corpo tão puro
Duas almas a dançar num poema a dó maior

A minha saudade tem o toque de dois ventres
Duas fontes de cristal a quebrar o entardecer
Lágrimas limpas em lagos de ternura
Brincadeiras sem sentido num mundo por medida

A minha saudade lembra ondas de cetim
Uma ilha, um porto, seguro num olhar
Ternura, magia, no último acreditar
De quem tem fé num mundo por inventar

A minha saudade é um rio preso nos teus olhos
Um furacão que se rende, um tumulto de sentidos
Uma dor que massaja num desalento da alma
Num sabor a fogo dos sonhos não cumpridos

Lua-Verde
 
 
 
(postado por Astrid)


Meu coração sofre

 
Meu coração sofre
 
 Meu coração sofre de saudades,
saudades do tempo onde o tempo não tinha fim,
saudades do teu sorriso que rompia a madrugada e eramos felizes.
tenho saudade da sua voz falando baixinho nos meus ouvidos
dizendo que me ama, tenho saudades dos momentos
onde assustada você perdia a hora de ir embora ,
tenho saudades do teus beijos dos teus lábios quentes juntos aos meus.
tenho saudades de você, de tudo quanto o tempo nos fez felizes, saudades...
 para sempre terei saudades de você.
 
joaobala


Celular

 
Celular
 
 Não lembro a última vez que te vi chamar.
Quem sabe ontem, hoje ou agora, não vou acertar.
Me prejudica, eu nada faço, só sei te esperar.
É angustiante, frio, lancinante, o teu não cantar.
As vezes brinco, imagino e rezo por sua atenção.
Quanta bobagem, um sonho lindo sem exatidão.
Tu me consolas, me tira o sopro, cala o coração.
Quando tu tocas, não vejo a hora de te ter na mão.
Grite celular, já está na hora, me tire essa dor.
 Me chame agora, traga notícias do meu amor.
 
Moisés oliveira


Feiticeira

 
Feiticeira 
 
 
Feiticeira pintada de sol,
com gosto de sal banhada de mar.
quadril oscila de lá pra cá, de cá pra lá
fera a espreita pronta pra atacar
quando a lua enfeita a noite ou o sol da luz ao dia tão
complexo seu balanço,
seus ensejos delirando
 eu em desejos pela pele alva e macia de noite
ou de dia esta moça tem o dom de enfeitiçar

Alexandre Montalvan

domingo, 4 de maio de 2014

Namorados para sempre


Namorados para sempre


Caminho por entre árvores derrubadas
na longa estrada do tempo
chego a um outro cenário da vida
nós dois, namorados...

Nada era muito diferente, apenas
como bem disse o homem sábio:
"havia sorrisos, onde hoje existem rugas"
e sorríamos tanto, por tão pouco!

Então porque, ficas aí com o olhar perdido
num horizonte longíquo, nem sabemos se existe
percas o teu olhar em mim e no amor que tenho
que ainda sobrevive, eu te amo mais que antes.

Sei que também me amas, pois és meu cúmplice.
Venhas comigo por esta estrada florida
tiremos as fantasias de velhos desanimados
sejamos outra vez e para sempre...Namorados!




autor: Tere Penhabe



Perdido de Amor


Perdido de Amor


Perdido estou
Minhas palavras são suas 
Suas lágrimas são minhas 
Não encontro saída 
A cada sorriso seu 
me encontro mais perdido 
Sinto o seu cheiro na minha pele
Ouço a sua respiração 
Ele é sempre assim 
Quando chega tudo fica confuso
Tudo me faz lembrar você 
Esse é o seu principal sintoma 
E eu mais um infectado 
Mesmo assim estou feliz 
Pois hoje sei que te amo e
te sinto a todo momento em mim.
 
de: George Cavalcante


A um Ausente


A um Ausente

Tenho razão de sentir saudade,tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste e sem te despedires
foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência de viver e explorar os rumos de obscuridade sem prazo sem consulta sem provocação até o limite das folhas caídas na hora de cair.
Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave do que o ato sem continuação, o ato em si, o ato que não ousamos nem sabemos ousar porque depois dele não há nada?
Tenho razão para sentir saudades de ti, de nossa convivência em falas camaradas, simples apertar de mãos, nem isso, voz modulando sílabas conhecidas e banais que eram sempre certeza e segurança.
Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste o não previsto nas leis da amizade e da natureza nem nos deixaste sequer o direito de indagar porque o fizeste, porque te foste.


Carlos Drummond de Andrade